terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Grandes Momentos Cinematográficos - Especial Darren Aronofsky

THE FOUNTAIN (2006)

Nota Ante-Cinema: 9/10

Aquele que é, talvez, o filme da carreira de Darren Aronofsky que mais dividiu opiniões, chega agora esta semana ao Grandes Momentos Cinematográficos para culminar esta homenagem ao cinema do realizador americano. The Fountain, estreado nos nossos cinemas em 2007, foi muito mais além da história de amor, apresentando um filme visualmente fantástico e inovador. A narrativa essa, suscita grande interesse devido à temática geral que o filme nos apresenta: a questão da vida eterna.

Se Requiem for a Dream (apresentado aqui na semana passada), abriu a Darren Aronofsky novas portas, este The Fountain veio culminar o excelente espírito visionário que o realizador vem vindo a adquirir desde a sua primeira longa metragem. No entanto, se é no aspecto visual que o filme mais se destaca, onde cenários extremamente bem elaborados e opostos ao nosso mundo nos são apresentados, também a diferente narrativa desenvolvida por Aronofsky nos chama a atenção. O filme, apesar de viver à volta de duas personagens do mundo actual, este é ainda uma metáfora para o que vem dos antepassados e aquilo que significa o próprio destino. A narrativa envolve três vidas durante 1000 anos que, no fundo, se assimila a uma em concreta.

O Ante-Cinema apresenta em baixo, como tem ocorrido desde o início deste especial, duas cenas para salientar a mestria e a força desta obra. No primeira cena (Momento 1), o maior destaque vai obviamente para a carga visual que Aronofsky apresenta. Com tudo a ser gerado pelos grandes atributos que a tecnologia hoje nos oferece, o filme apresenta uma vigorosa a fabulosa fotografia. A par disto, e apesar de já se parecer algo repetitivo, temos que voltar a salientar a banda sonora de Clint Mansell. Mais uma vez, esta é perfeita em todos os sentidos. No segundo momento apresentado (Momento 2), salientamos a força da relação entre as duas personagens ao qual o filme anda à volta na actualidade, reforçando principalmente as excelentes interpretações de Hugh Jackman e Rachel Weiz.

Estando terminada esta retrospectiva ao cinema de Darren Aronofsky, amanhã será divulgada a crítica completa do Ante-Cinema ao seu mais recente filme The Wrestler.

MOMENTO 1:


MOMENTO 2:


"A fita é, sem qualquer dúvida, um produto cinematográfico fabuloso, onde o requinte e o detalhe são impressionantes, cujo espectador mais atento ficará deliciado tal é o deleite visual."
Nota: 8/10
Cinema is my Life

Ante-Cinema#

7 comentários:

looT disse...

Como disse quando falaste no requiem estes são dois filmes extremamente sensoriais. Claro que os sentimentos são muito diferentes em cada um.

Adoro os dois e graças a eles considero que Aronofsky é dos realizadores mais talentosos da actualidade, penso que será um dos Scorsceses e Coppolas do futuro tal como PT Anderson.

Abraço

Álvaro Martins disse...

Grande filme.
Só não é o melhor do Aronofsky porque há Requiem For a Dream. Mas, com certeza é o segundo melhor da sua ainda curta carreira que esperemos nos venha a brindar com mais obras de arte como as que já nos ofreceu.

Abraços

• Cleber! disse...

Detesto esse filme, pretensioso ao extremo !

Dan disse...

Tenho mesmo muita pena, de ainda não ter visto este filme. Tenho ouvido excelentes coisas dele, e esta crítica é mais uma delas. Aliás, não sou grande conhecedor do trabalho do Darren... É um erro a corrgir, em breve se possível :)

Um belo pedaço de texto este Fernado, entusiasmaste-me a ver esta obra, em muito devido ao aspecto visual arrebatador como vemos pelo vídeo e que muito bem salientas. Segundo, porque o tema do filme é deveras interessante e deixa-me curioso ;)

Abraço!

Fernando Ribeiro disse...

Loot,

Concordo plenamente contigo. E Aronofsky e PT Anderson são realmente uns dos melhores jovens realizadores da actualidade. Que nos tragam mais filmes de grande qualidade como o têm feito. :)

Abraço.


Álvaro Martins,

Também considero Requiem for a Dream o melhor filme da carreira de Aronofsky. Mas este também não fica muito atrás. The Fountain foi um dos grandes filmes que estreou no nosso país em 2007.

Abraço.


Cleber,

É pena que aches isso. Não o considero em nada pretensioso, mas sim um filme visualmente e em termos de narrativa a roçar muito o genial. Talvez te recomendo a voltar a veres o filme com outros olhos. :)

Abraço.


Dan,

É, de facto, um filme que te recomendo bastante. Se formos a ver pela carreira de Aronofsky, este talvez seja o meu segundo filme preferido dele. E ainda bem que gostaste do texto. Muito obrigado pelas palavras. Espero que tenha servido para que o vejas o mais breve possível. :)

Abraço.

thesubsidal disse...

Esta para miim é o melhor filme de Aronofsky, e um dos filmes da minha vida! Já o vi 5 vezes, e das 5 vezes fiquei maravilhado. Fascina-me toda a experiência sensorial, melódica, tocante, avassaladora desta fita. Jackma e Rachel Weisz numa das mais bonitas histórias do cinema. A interpretação de Jackman é deveras impressionante!

Dei-lhe no meu espaço 5 estrelas ou um redondo 10.

Aconselho a visitarem o extinto blog Pasmos Filtrados (referência na blogosfera cinematográfica) e deliciarem-se com as observações do Francisco Mendes em relação a este filme!

Minha crítica - http://em35mm.blogs.sapo.pt/5967.html

Pasmos Filtrados
http://pasmosfiltrados.blogspot.com/

espero que não te importes por ter colocado estes links Fernando...

Abraço

Fernando Ribeiro disse...

Ricardo Vieira,

Como já percebeste não é The Fountain o meu número 1 de Darren Aronofsky. No entanto, ele anda lá muito perto. E concordo contigo quando avalias com esses termos o filme. É exactamente isso que ele é.

Quanto às tuas sugestões, claro que não me importei nada. Fico até bastante contente por me mostrares outras opiniões sobre este filme, inclusive a tua. Irei de certeza ler estas opiniões. Muito obrigado pelo teu comentário. :)

Grande abraço.