sábado, 28 de fevereiro de 2009

Que futuro se espera para Mickey Rourke?

No nosso último post, onde divulgamos algumas entrevistas aos intervenientes de The Wrestler, aconteceu algo muito interessante na nossa zona dos comentários. Após algumas opiniões algo "controversas", surgiram observações que geraram um aceso debate entre alguns dos nossos leitores. Assim sendo, agradecemos a todos que deixaram as suas opiniões sobre o filme e o próprio Mickey Rourke, renascido das "cinzas" após esta sua interpretação em The Wrestler. Quem não está a par dos comentários, é só dirigirem-se ao post em baixo.

Como toda a opinião é bem vinda no Ante-Cinema, e após termos lido os diferentes comentários que surgiram, por aqui ficou-se a pensar no seguinte: que futuro se espera para Mickey Rourke depois deste grande êxito? Continuará nesta maré de sucesso com mais futuras boas interpretações, ou não voltará a ser o mesmo depois deste The Wrestler? Uma coisa é certa, se Mickey Rourke tivesse ganho o Oscar para Melhor Actor Principal, um discurso como este que apresentamos em baixo, ia logo animar ainda mais a noite da cerimónia. O dito cujo é referente à sua vitória para Melhor Actor Principal nos Independent Spirit Awards 2009.

Até lá, o espaço dos comentários está aberto para todos vocês. Mickey Rourke voltou para ficar?



Ante-Cinema#

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Porque devem mesmo ir ver The Wrestler...

Depois de um mês dedicado ao cinema do visionário realizador Darren Aronofsky, aquele que assina a realização do recém estreado The Wrestler, o Ante-Cinema irá agora fechar esta semana mais uma conjuntura de especiais com alguns vídeos bastante interessantes sobre o filme.

Depois da nossa crítica, colocada aqui durante o dia de ontem, o Ante-Cinema apresenta agora algumas entrevistas aos intervenientes do filme, inclusive o próprio realizador. A abrir temos o nomeado ao Oscar pelo seu papel como Randy "The Ram" Robinson, ou seja, Mickey Rourke, depois Marisa Tomei e de seguida Darren Aronofsky. A entrevista realizada a Evan Rachel Wood já foi divulgada por nós no início deste mês (aqui).

Amanhã não percam o último especial de The Wrestler. Tudo isto e muito mais, só no Ante-Cinema.

ENTREVISTA A MICKEY ROURKE:


ENTREVISTA A MARISA TOMEI:


ENTREVISTA A DARREN ARONOFSKY:


Ante-Cinema#

Estreias da Semana (26 de Fevereiro a 4 de Março)

O WRESTLER

Realização: Darren Aronofsky
Com: Mickey Rourke, Marisa Tomei e Evan Rachel Wood
Género: Drama
Duração: 115 minutos
Classificação: M/16
País: EUA

Nota Ante-Cinema: 9/10

Crítica

No final dos anos 80, Randy “The Ram” Robinson era um dos principais lutadores de wrestling profissional. Agora, vinte anos mais tarde, ele ganha a vida com as suas representações estimulantes para um punhado de fãs conservadores em ginásios de escolas secundárias e centros comunitários perto de Nova Jersey. (Sinopse: Cinema2000)

Em exibição nos seguintes cinemas: VER AQUI


HISTÓRIAS PARA ADORMECER

Realização: Adam Shankman
Com: Adam Sandler, Keri Russell, Guy Pearce, Russell Brand, Courteney Cox, Jonathan Pryce e Carmen Electra
Género: Comédia
Duração: 99 minutos
Classificação: M/6
País: EUA

Um vulgar empregado de um hotel cuja vida sofre uma total reviravolta quando as histórias que ele conta para adormecer os sobrinhos, começam misteriosamente a acontecer. Ele tenta aproveitar-se do fenómeno, incorporando as suas próprias aspirações em contos estranhos, um a seguir ao outro, mas são as contribuições inesperadas dos seus sobrinhos que viram a sua vida de pernas para o ar. (Sinopse: Cinema2000)

Em exibição nos seguintes cinemas: VER AQUI

Ante-Cinema#

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

The Wrestler, por Fernando Ribeiro

Nota: 9/10

"You Know... With a little luck, this could be my ticket back on top!"

Talvez nunca um diálogo de um filme esteve tão próximo da realidade para um actor. Mickey Rourke, que viveu por muito tempo escondido do cinema, teve agora a tão esperada e bem-vinda oportunidade de voltar a dizer ao mundo: "Eu estou vivo!". Em 2005, Rourke voltava a chamar a atenção do cinema quando através da visão de Robert Rodriguez, este apareceu de forma muito peculiar e com um papel algo importante em Sin City. De seguida, foi Tony Scott que voltou a pegar nele, incluindo-o mais uma vez num dos seus filmes, desta feita com Domino. Foi, então, que o aclamado e visionário realizador Darren Aronofsky, lhe fez uma proposta que ele não podia recusar. Segundo se consta, inicialmente a produtora do filme queria dar o papel de Randy "The Ram" Robinson a Nicolas Cage. No entanto, Aronofsky não estava para aí virado, e com a recusa de Cage para desempenhar o papel, as portas abriram-se para Mickey Rourke. Tendo Aronofsky proposto a Rourke que este fizesse o filme mas que só no final da rodagem é que iria ser pago, também lhe prometeu que se fizesse este The Wrestler as coisas poderiam mudar e muito na sua carreira, chegando-lhe ainda a falar numa possibilidade para uma nomeação ao Oscar. Tanto assim foi que, meses depois, Rourke voltou a ser falado pelo mundo e a Academia não se esqueceu de nomear o actor rejuvenescido das "cinzas".
Apesar de ter optado por começar esta crítica pelo desempenho e rejuvenescimento de Mickey Rourke, era muito injusto se dissesse que o filme vive apenas disso. Tanto assim não é que, ao longo do filme, vemos uma vez mais uma realização muito sólida e eficaz de Darren Aronofsky, e actores secundários que complementam muito bem os sentimentos e desenvolvimento da personagem de Rourke ao longo do filme. Mas, como é óbvio, o grande triunfo de The Wrestler é o excelente e nunca visto desempenho de Rourke. Mas se este tem a capacidade de transportar para fora do ecrã os seus mais profundos sentimentos, é a câmera de Aronofsky o principal mentor deste aspecto. Sempre a segui-lo de maneira a transmitir os diferentes aspectos que a sua personalidade enfrenta, desde os momentos mais difíceis como a falta de dinheiro e amigos, até à própria solidão de "The Ram" quando não está nos ringues, o realizador que já mostrou toda a sua mestria em filmes como Requiem for a Dream e The Fountain, volta a triunfar num dos registos mais sentimentais da sua carreira.

Apesar de Mickey Rourke não ter ganho o Oscar para Melhor Actor Principal, conforme muitos pensavam, inclusive eu, fica pelo menos a prova de que o seu talento sempre esteve com ele e que muitos outros projectos de grande qualidade podem surgir na sua carreira. A certa altura, antes dos Oscars, Rourke afirmou que não ganhar o Oscar podia muito bem acontecer dado os "inimigos" que fez durante algum tempo na industria de Hollywood. No entanto, se novos desempenhos como este não surgirem, fica pelo menos um registo interpretativo que marcou pela positiva a sua carreira. Ainda neste aspecto sobre os prémios da Academia, e tendo em conta que aqui se podia falar de muita coisa em relação a este The Wrestler, pergunto o porquê de este filme ter estado ausente em mais categorias dos Oscars. Falo, por exemplo, em categorias como a de Melhor Filme, Realizador, Actriz Secundária para Evan Rachel Wood e Música Original. Ao ver a lista de nomeados para Melhor Filme, retirava por exemplo The Reader, que, para mim, foi um filme bastante sobrevalorizado pela Academia, e assim incluir este The Wrestler. Depois, Evan Rachel Wood apresenta-nos um grande interpretação, sendo ela uma das causas maiores para o desempenho de Mickey Rourke conforme o vimos. No entanto, nesta categoria das Secundárias, teve em sua "representação" Marisa Tomei, que levou para a sua carreira mais uma justíssima nomeação por este The Wrestler. Por último, se a música "Down to Earth" de Peter Gabriel foi nomeada, gostava de saber o que é que esta tem a mais que a do Bruce Springsteen.
No geral, e porque esta crítica já vai longa, é importante registar que não sendo este o melhor filme de Darron Aronofsky, porque à frente ainda se encontra um genial Requiem for a Dream, este The Wrestler é, sem dúvida alguma, um dos filmes mais marcantes e pessoais que o realizador já alguma vez fez. São praticamente duas horas a acompanhar um solitário lutador que tenta lutar contra a naturalidade do tempo e da vida mas, acima de tudo, um homem com um sentimento ainda por explorar. É de registar a forma como o filme desenvolveu o seu final, não entrando nos habituais clichés do género. Um filme para ver e rever.


"A temática que mais sobressai no vasto rol de emoções que é “The Wrestler” é, sem qualquer margem para dúvidas, a solidão. (...) Em suma, temos uma obra equilibrada que não transcende a excelência ao nível da qualidade cinéfila mas que se tornará, muito provavelmente, numa referência em um futuro distante."


Ante-Cinema#

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Grandes Momentos Cinematográficos - Especial Darren Aronofsky

THE FOUNTAIN (2006)

Nota Ante-Cinema: 9/10

Aquele que é, talvez, o filme da carreira de Darren Aronofsky que mais dividiu opiniões, chega agora esta semana ao Grandes Momentos Cinematográficos para culminar esta homenagem ao cinema do realizador americano. The Fountain, estreado nos nossos cinemas em 2007, foi muito mais além da história de amor, apresentando um filme visualmente fantástico e inovador. A narrativa essa, suscita grande interesse devido à temática geral que o filme nos apresenta: a questão da vida eterna.

Se Requiem for a Dream (apresentado aqui na semana passada), abriu a Darren Aronofsky novas portas, este The Fountain veio culminar o excelente espírito visionário que o realizador vem vindo a adquirir desde a sua primeira longa metragem. No entanto, se é no aspecto visual que o filme mais se destaca, onde cenários extremamente bem elaborados e opostos ao nosso mundo nos são apresentados, também a diferente narrativa desenvolvida por Aronofsky nos chama a atenção. O filme, apesar de viver à volta de duas personagens do mundo actual, este é ainda uma metáfora para o que vem dos antepassados e aquilo que significa o próprio destino. A narrativa envolve três vidas durante 1000 anos que, no fundo, se assimila a uma em concreta.

O Ante-Cinema apresenta em baixo, como tem ocorrido desde o início deste especial, duas cenas para salientar a mestria e a força desta obra. No primeira cena (Momento 1), o maior destaque vai obviamente para a carga visual que Aronofsky apresenta. Com tudo a ser gerado pelos grandes atributos que a tecnologia hoje nos oferece, o filme apresenta uma vigorosa a fabulosa fotografia. A par disto, e apesar de já se parecer algo repetitivo, temos que voltar a salientar a banda sonora de Clint Mansell. Mais uma vez, esta é perfeita em todos os sentidos. No segundo momento apresentado (Momento 2), salientamos a força da relação entre as duas personagens ao qual o filme anda à volta na actualidade, reforçando principalmente as excelentes interpretações de Hugh Jackman e Rachel Weiz.

Estando terminada esta retrospectiva ao cinema de Darren Aronofsky, amanhã será divulgada a crítica completa do Ante-Cinema ao seu mais recente filme The Wrestler.

MOMENTO 1:


MOMENTO 2:


"A fita é, sem qualquer dúvida, um produto cinematográfico fabuloso, onde o requinte e o detalhe são impressionantes, cujo espectador mais atento ficará deliciado tal é o deleite visual."
Nota: 8/10
Cinema is my Life

Ante-Cinema#

Tabela de Classificações: Janeiro

Ante-Cinema#

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Algumas Observações sobre os Oscars

Numa altura em que são mais do que conhecidos todos os vencedores das estatuetas douradas, o Ante-Cinema promete-vos não maçar muito mais com aquilo que aconteceu na última noite, dando-vos apenas algumas breves reflexões sobre o que se passou de mais relevante durante a cerimónia e alguns comentários sobre os vencedores. Antes disso, e caso não se lembrem de alguns do vencedores, podem consultar a lista completa aqui.

- Foi, sem dúvida alguma, uma cerimónia completamente renovada. Hugh Jackman provou os seus grandes atributos "teatrais", proporcionando um excelente espectáculo. Bem haja a Baz Luhrmann, o responsável por algumas das coreografias, inclusive a homenagem ao cinema musical americano. Como Jackman disse: "The Musical is Back!".

- Alguém reparou no extremo nervosismo em que se encontrava Mickey Rourke quando decorriam os discursos sobre os nomeados para Melhor Actor Principal? É que ele não parava de tremer com a mão.

- Por falar em Mickey Rourke, essa acabou por ser a maior surpresa da noite. Se a disputa entre Rourke e Penn era óbvia, tudo indicava que o Oscar iria para Rourke. Assim não foi e é pena. Dificilmente voltará a ser nomeado mas valeu o respeito e homenagem de Sean Penn pelo reconhecimento e regresso de um "irmão". Esperemos que Rourke continue a sua boa forma e que não entre na mó de baixo uma vez mais.

- Melhor Argumento Original para Milk? Não seria mais justo para Wall-E ou o próprio In Bruges?

- São de assinalar dois grandes momentos de comédia: O sketch fenomenal entre James Franco e Seth Rogen; e o gozo que Ben Stiller deu a Joaquin Phoenix.

- A atribuição dos Oscars, embora por vezes realizada um bocado ao despacha, foi feita de maneira muito mais organizada. Isso acabou por ajudar ao espectáculo em si. Ainda neste aspecto, a forma como mudaram a atribuição para os Oscars de Interpretação, através de vários actores de diferentes gerações que já ganharam Oscars, foi bastante inteligente e eficaz. Que assim se mantenha nos próximos anos.

- De todos os nomeados, o que saiu mais a perder foi The Curious Case of Benjamnin Button. As probabilidades disto acontecer eram grandes. Mal se anunciou o Oscar de Melhor Argumento Adaptado para Slumodg Millionaire, que as coisas começavam a correr mal para o filme de David Fincher.

- Para terminar, após alguma pesquisa no site Oscar.com, descobrimos estas dois excelentes vídeos (com maior destaque para o primeiro entre Danny Boyle e Steven Spielberg):

BASTIDORES: DANNY BOYLE E STEVEN SPIELBERG


CONFERÊNCIA DE IMPRENSA: SEAN PENN


Ante-Cinema#

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Mandylord of the Movies: Retrospectiva aos Oscars 2009 e os seus "roubos"

Estamos quase lá! O tão esperado dia 22, em que vão ser distinguidos os expoentes máximos da sétima arte referentes ao ano de 2008. Por aqui, o Costas pode dizer que já viu praticamente todo o material nomeado, e desde já apontar alguns dedos a esses senhores que ditam a sentença a uns, e levam outros a estado de graça.

Vejamos os nomeados para Melhor Filme. Obviamente a batalha esperada será entre o britânico Slumdog Millionaire e o americano The Curious Case of Benjamin Button. Mas e os restantes nomeados? Parece que este ano a Academia decidiu excluir adversários de peso, de forma a minimizar a concorrência nas categorias.

Vou ser muito claro. Que é feito de Revolutionary Road? Não tem nomeação para Melhor Filme, nem para Melhor Actor, Actriz e Realizador. A meu ver, este filme merecia muito mais por parte da Academia. É uma obra brilhante do realizador Sam Mendes e conta com interpretações de louvar. São os casos de Kate Winslet e do cada vez mais "enguiçado" Leonardo DiCaprio.

A Academia prefere Milk e a intocável interpretação de Sean Penn. Por cá, o Costas prefere a interpretação de Mickey Rourke no inesquecível The Wrestler, sendo também importante acrescentar que uma possível nomeação para Melhor Filme, Melhor Realizador para Darren Aranofsky, e Melhor Actriz Secundária para Evan Rachel Wood, não calhava nada mal.

Mas a Academia foi por outros caminhos: decidiu fazer um atalho e nomear uma carrada de actores pelo filme Doubt. Como aos quatro de cada vez devia ser mais barato, temos quatro nomeações nas categorias de actores para este filme, e verdade seja dita, são merecidos na sua maioria. Mas por favor, porque é que a Academia tem uma tara tão grande por interpretações de 10 minutos? Uma coisa é não ter havido mais ninguém, e pronto, lá se tem que nomear a Viola Davis para Melhor Actriz Secundária. Mas com Evan Rachel Wood a ficar de fora? Talvez gostos, talvez injustiça.

Mas enfim, gostos são gostos, ou talvez este ano parece-me que houveram mais uns daqueles roubos a que carinhosamente já chamo de "roubos à Scorsese" ou à "Peter O’Toole". Vá-se lá saber porque é que Leonardo DiCaprio não quer pôr os pés no Kodak Theatre este ano.

Para acabar com os roubos, porque daqui a nada sinto-me tentado a pedir justificações à Academia por ainda não ter ganho um Oscar pelas minhas interpretações no Saw, essencialmente para mim, o maior roubo deste ano é o filme Milk. Eu sei, eu sei. Neste momento muitos de vocês devem estar a atirar coisas aos vossos monitores e a cuspirem na minha querida foto. Mas, sinceramente, na minha modesta opinião, Milk não era nomeado a Melhor Filme nem a Melhor Realizador. Nas principais categorias, o que é realmente de louvar é a interpretação de Sean Penn, que essa sim, é verdadeiramente merecida.

Mas amigos, não atirem o Costas abaixo da sua querida cadeira reclinável, porque, apesar de tudo, Milk foi um filme devidamente apreciado por mim. Apenas penso que é mais um daqueles milhões de casos de "overating". Contudo, merece o meu segundo visionamento, para uma possível nova reflexão. Até lá, este é o meu veredicto.

Que ganhem os melhores.

P.S.: “I have a dream”, e nesse sonho, The Dark Knight ganha o Oscar de Melhor Filme.

Costas Mandylor,
Ante-Cinema#

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Previsões para os Oscars, por Fernando Ribeiro

Numa altura em que por todo o mundo se fala dos possíveis vencedores às categorias dos Oscars, o Ante-Cinema faz agora uma previsão sobre o que poderá acontecer na próxima madrugada de domingo para segunda no Kodak Theatre.

Apesar de certamente já terem visto todo o tipo de escolhas em vários blogues e sites, esta lista que em baixo apresento, refere-se às principais categorias da cerimónia. Como é óbvio, estas previsões são bastante pessoais, logo, o que se encontra em baixo trata-se, nem mais nem menos, das minhas escolhas para cada categoria. Sem mais demoras, vamos ao que interessa:

MELHORES EFEITOS VISUAIS:The Curious Case of Benjamin Button


MELHOR FOTOGRAFIA:The Curious Case of Benjamin Button


MELHOR BANDA SONORA:Slumdog Millionaire


MELHOR ACTRIZ SECUNDÁRIA:Taraji P. Henson (The Curious Case of Benjamin Button)


MELHOR ACTOR SECUNDÁRIO:Heath Ledger (The Dark Knight)


MELHOR ACTRIZ PRINCIPAL:Kate Winslet (The Reader)


MELHOR ACTOR PRINCIPAL:
Mickey Rourke (The Wrestler)


MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO:Wall-E


MELHOR FILME ESTRANGEIRO:Waltz with Bashir


MELHOR ARGUMENTO ADAPTADO:
Slumdog Millionaire


MELHOR ARGUMENTO ORIGINAL:Wall-E


MELHOR REALIZADOR:Danny Boyle (Slumdog Millionaire)


MELHOR FILME:
Slumdog Millionaire

Ante-Cinema#

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

É já no Domingo...



Amanhã não percam as previsões do Ante-Cinema.

Ante-Cinema#

Estreias da Semana (19 a 25 de Fevereiro)

CORALINE E A PORTA SECRETA

Realização: Henry Selick
Com as vozes de: Ana Bola, Carla Garcia, João Teixeira, José Neves, Maria Rueff e Nuno Lopes (V.P.)
Género: Animação
Duração: 101 minutos
Classificação: M/4
País: EUA

ATENÇÃO: Este filme só estreou em Portugal na Versão Portuguesa

Uma jovem rapariga, Coraline atravessa uma porta secreta, na sua nova casa, e descobre uma versão alternativa da sua vida. À primeira vista, esta realidade paralela é estranhamente parecida com a vida real – mas muito melhor. Mas quando este maravilhoso conto se torna perigoso e a sua mãe contrafeita tenta ficar com ela para sempre, Coraline dependerá da sua firme determinação, coragem, a ajuda de vizinhos e de um gato que fala, para salvar os seus pais verdadeiros e algumas crianças fantasma, e assim voltar para casa. (Sinopse: Cinema2000)

Em exibição nos seguintes cinemas: VER AQUI


O VISITANTE

Realização: Thomas McCarthy
Com: Richard Jenkins, Danai Jekesai Gurira, Haaz Sleiman e Maggie Moore
Género: Drama
Duração: 104 minutos
Classificação: M/12
País: EUA

Nota Ante-Cinema: 7/10

Walter Vale, um solitário professor de Connecticut, recentemente viúvo, vê-se forçado a regressar a Nova Iorque para assistir a uma conferência e encontra o seu apartamento de Manhattan ocupado por um jovem casal de imigrantes ilegais. Depois de esclarecida a intromissão, Vale convida o casal – um jovem músico sírio chamado Tarek e a sua namorada senegalesa – a ficar a viver com ele. Uma improvável amizade que acaba por se desenvolver entre o pacato Prof. Vale e o vibrante Tarek. Mas os bons momentos depressa são perturbados pela injusta prisão de Tarek e a sua possível deportação. Vale, que está determinado a ajudar, inicia uma verdadeira cruzada pela libertação de Tarek. (Sinopse: Cinema2000)

Em exibição nos seguintes cinemas: VER AQUI


MARADONA

Realização: Emir Kusturica
Com: Lucas Fuica, Emir Kusturica e Diego Armando Maradona
Género: Documentário
Duração: 90 minutos
Classificação: M/12
País: EUA/França

Kusturica celebra neste filme a história de Diego Maradona: um herói desportivo, o Deus do futebol, um artista brilhante, campeão do povo, um ídolo em decadência e uma inspiração para milhões de pessoas um pouco por todo o mundo. De Buenos Aires a Nápoles, passando por Cuba, Kusturica traça um retrato da vida deste extraordinário homem, desde o seu início até alcançar a fama mundial que se lhe conhece, da mais espectacular ascensão à sua trágica queda. (Sinopse: Cinema2000)

Em exibição nos seguintes cinemas: VER AQUI


A PANTERA COR-DE-ROSA 2

Realização: Harald Zwart
Com: Steve Martin, Jean Reno, Emily Mortimer, Andy Garcia, Alfred Molina e John Cleese
Género: Comédia
Duração: 92 minutos
Classificação: M/6
País: EUA

Quando legendários tesouros começam a desaparecer por tudo o Mundo, incluindo o famoso diamante Pantera Cor-de-Rosa, o Chefe Inspector Dreyfus é forçado a enviar Clouseau para integrar uma equipa de detectives e especialistas. Estes têm a missão de recuperar todos os objectos roubados e capturar o ladrão. (Sinopse: Cinema2000)

Em exibição nos seguintes cinemas: VER AQUI


HOTEL PARA CÃES

Realização: Thor Freudenthal
Com: Emma Roberts, Jake T. Austin, Don Cheadle e Johnny Simmons (V.O.);
Carla Garcia, Cristina Cavalinhos, José Jorge Duarte, Luis Simões (V.P.)
Género: Comédia
Duração: 100 minutos
Classificação: M/4
País: EUA

ATENÇÃO: Este filme está disponível em Portugal nas duas versões (Original e Portuguesa)

Quando Andi, de 16 anos, e Bruce, o seu irmão mais novo, vão viver com pais de acolhimento que têm uma regra estrita que proíbe cães, a Andi tem de usar a sua perspicácia para ajudar a encontrar um novo lar para o cão deles, o Sexta-feira. Os miúdos encontram um hotel abandonado e começam a transformá-lo na casa perfeita para o Sexta-feira – bem como para todos os vadios da cidade. Em menos de nada, os miúdos transformam o hotel degradado em algo verdadeiramente mágico: uma casa para os cães e para eles também. No entanto, também deixaram a polícia desconfiada que quer saber... quem deixou os cães entrar. (Sinopse: Cinema2000)

Em exibição nos seguintes cinemas: VER AQUI

Ante-Cinema#

Qual é o Filme? - Semana 10 - 3ª Temporada

ATENÇÃO:

A partir de agora, para as respostas serem válidas e aceites como vencedoras, terão não só que revelar qual é o filme que corresponde a frase, mas também descrever em poucas palavras a cena a que corresponde.


"Too much garbage in your face? There's plenty of space out in space!"


Filme da Semana Passada:
Rain Man, de Barry Levinson


Vencedor da Semana Passada:
Ricardo


Classificação:
1. Ricardo - 4 Pts.
2. Close-Up - 3 Pts.
3. Dan - 2 Pts.

Ante-Cinema#

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Grandes Momentos Cinematográficos - Especial Darren Aronofsky

REQUIEM FOR A DREAM (2000)

Nota Ante-Cinema: 10/10

Aquela que é, sem dúvida alguma, a melhor longa metragem de Darren Aronofsky até ao momento, é também aqui que podemos encontrar o lado mais genial e experimental do realizador. E a prova disso recai nos dois momentos do filme que o Ante-Cinema apresenta esta semana no Grandes Momentos Cinematográficos dedicado ao cinema de Aronofsky.

Antes de irmos aos dois momentos propriamente ditos, é necessário realçar que este Requiem for a Dream é genuinamente perfeito em todos os sentidos. A começar pela magnífica e inovadora realização que Aronofsky implementou no filme. E é nesse mesmo aspecto que este Grandes Momentos Cinematográficos desta semana se insere. Se a sua estética em Pi, filme aqui apresentado na semana passada, era já ela bastante inovadora e experimental, em Requiem for a Dream as coisas já funcionaram de maneira diferente. É, em todo o filme, uma realização muito sólida e fruto dum trabalho árduo juntamente com o seu director de fotografia e restante equipa de produção. Vejamos, por exemplo, a primeira cena que apresentamos em baixo (Momento 1). Aronofsky já tinha implementando esta técnica da câmera fixa, que vai acompanhado de uma maneira muito segura a personagem, em Pi, mas, desta vez, o resultado foi muito mais promissor e o resultado outro. Reparem na maneira como consegue transmitir a sensação de desprezo da personagem, uma vez que prossegue o seu estado emocional depois de uma situação muito pesada para a sua pessoa e relacionamento com o namorado, através da sua focagem num espaço algo fechado. Faz ainda com que este método de filmagem seja bastante apelativo de ver, permitindo-nos assim em observar uma técnica completamente inovadora. Já no segundo momento que apresentamos (Momento 2), onde vemos as duas personagens divididas, mas que, no entanto, encontram-se associadas à mesma cena e espaço, torna-se noutra das cenas extremamente inovadoras e funcionais. Assim sendo, o efeito de pormenor que ela nos transmite é muito mais perspicaz e faz-nos ficar completamente agarrados ao que se passa realmente entre as duas personagens.O Ante-Cinema preparou estes dois momentos mas muitos outros poderiam ter sido destacados. Se estas duas cenas em particular revelam o carácter inovador e visionário de Darren Aronofsky, outras cenas poderiam revelar, por exemplo, a magnífica interpretação de Ellen Burstyn, a personagem pelo qual o filme mais pega para criticar uma sociedade que vive sedenta e obcecada por aparecer na televisão e assim adquirir os tais "5 minutos de fama". A certa altura do filme, a personagem de Ellen Burstyn, Sara Goldfarb, diz: "I'm somebody now, Harry. Everybody likes me. Soon, millions of people will see me and they'll all like me.". Um diálogo que foi ainda mais desenvolvido, mas que nos mostra perfeitamente o lado solitário e obsessivo que a sua personagem demonstra perante um recente objectivo para a sua vida: aparecer num dos talk shows mais conceituados da televisão americana com o seu vestido vermelho já velho e que não lhe serve.

Esta espécie de crítica já vai longa, no entanto, torna-se crucial salientar mais uma vez a parceria entre Aronofsky e o compositor Clint Mansell. Esta é, a par com The Fountain (filme a ser apresentado na próxima semana), das melhores e mais intensas bandas sonoras dos últimos anos (podem ouvir parte da banda sonora no "Momento 1"). Fiquem agora com duas cenas deste magnífico filme, ficando aqui a promessa, principalmente para quem ainda não o viu, que vão gostar imenso de dar uma espreitadela. Acreditem que não estraga em nada o visionamento desta obra.

MOMENTO 1:


MOMENTO 2:


"Sendo essencialmente abordado como "um filme sobre a dependência das drogas", prefiro pensar em Requiem for a Dream como um filme com um propósito muito mais profundo: mostrar a desgraça de um sonho desfeito, de um sonho desfeito por si mesmo. "O sonho comanda a vida". Será? Ou será esse o verdadeiro caminho da perdição?"
Nota: 8.5/10
Close-Up

Ante-Cinema#

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Fantasporto 2009 já arrancou


Sessão Oficial de Abertura (20 de Fevereiro):

Che (The Argentine), de Steven Soderbergh - 20h45

Sessão de Encerramento (27 de Fevereiro):
Adam Resurrected, de Paul Schrader - 21h00


Site Oficial


Programação


Quais são as vossas expectativas para a edição deste ano? Vão marcar presença no festival?

Ante-Cinema#

Passatempo O VISITANTE - Vencedores

Em baixo ficam os vencedores do passatempo O Visitante que ganharam entradas duplas para as antestreias em Lisboa e no Porto. Os vencedores deverão levantar os convites no cinema em questão perante a apresentação do bilhete de identidade. Obrigado a todos por terem participado.

Lisboa: Dia 17 de Fevereiro (Terça-Feira) – 21h45 – Cinemas Medeia King – 5 convites duplos:

Gonçalo Oliveira Dá Mesquita Liberal;
Manuel Pedro Moedas dos Santos Silva;
Maria Eliana Rebelo Fernandes;
Sofia Santos dos Reis;
Sónia Filipa Romero Miranda Pina.

Porto: Dia 17 de Fevereiro (Terça-Feira) – 21h45 – Cinemas UCI Arrábida Shopping – 5 convites duplos:

Daniela Magalhães Almeida;
Ema Pinto Duarte;
João Castro e Melo Saraiva Caldeira;
Joel Bessa Fernando da Silva;
Ricardo Vidal da Silva.

Parabéns aos vencedores. Bom Filme!

Ante-Cinema#

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Filme "Xunga" no topo dos EUA

A concorrência para o remake de Sexta-Feira 13 era pouca. Apenas The International, que abriu a edição do Festival de Berlim deste ano, podia fazer frente a mais uma mega "teen" produção de Michael Bay. Depois ainda havia um Gomorra, que tendo estreado só este fim de semana nos EUA e o facto de ter sido posto de parte pela Academia para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, não ajudaram muito a que esta produção italiana fosse mais além fronteiras. Assim sendo, e concluindo esta pequena introdução, este remake de Sexta-Feira 13 já é um sucesso por terras americanas. Logo no primeiro fim de semana de estreia (de 13 a 15 de Fevereiro), fez nas bilheteiras uns excelentes 42.2 milhões de dólares. Mas não se deixem enganar por este resultado bem apelativo. O filme teve estreia mundial, tendo chegado até nós na última quinta-feira, mas este é claramente aquilo que podemos chamar de cinema "xunga".

Quanto a outras estreias do fim de semana, a grande desilusão acabou por recair para The International. Será que o público já está farto de ver Clive Owen a desempenhar sempre o mesmo tipo de papel? O filme realizado por Tom Tykwer, o mesmo responsável por Perfume: The Story of a Murderer, entrou directamente para a sétima posição do top 10, com ganhos de 10 milhões de dólares nas bilheteiras. Quem ficou a ganhar, ao contrário do que se esperava, foi a comédia Confessions of a Shopaholic. O filme entrou directamente para o quarto lugar, fazendo lucros de 15.4 milhões de dólares.

Paul Blart: Mall Cop, a comédia sensação do início deste ano, ultrapassou agora a barreira dos 100 milhões de dólares e continua a manter-se firmemente no top 10. Slumdog Millionaire consegue também permanecer nos dez primeiros lugares, tendo agora descido para a nona posição com ganhos totais desde a sua estreia de 86.5 milhões de dólares.

1
Friday the 13th (2009) $42.2M $42.2M
2
He's Just Not That Into You (2009) $19.6M $55.1M
3
Taken (2008/I) $19.2M $77.9M
4
Confessions of a Shopaholic (2009) $15.4M $15.4M
5
Coraline (2009) $15M $35.5M
6
Paul Blart: Mall Cop (2009) $11.7M $110M
7
The International (2009) $10M $10M
8
The Pink Panther 2 (2009) $9M $22.3M
9
Slumdog Millionaire (2008) $7.15M $86.5M
10
Push (2009) $6.93M $19.3M

O valor da esquerda é referente a este fim de semana e o do lado direito ao total já adquirido desde a sua estreia. Os valores são em milhões de dólares.

Ante-Cinema#

Grandes Esperanças para 2009 - Parte III

CORALINE

Henry Selick, realizador de filmes como The Nightmare Before Christmas e James and the Giant Peach, regressa uma vez mais ao seu estilo que tão bem consegue representar através da animação em stop motion e, pela primeira vez neste formato, em alta definição. Coraline promete uma conjuntura considerável de emoções, onde o lado negro da história e a magia que cada imagem parece transmitir, fazem deste filme possuir uma globalidade de grandes expectativas para esta nova época cinematográfica.

Baseado no best-seller internacional de Neil Gaiman, o filme de Henry Selick vai ser certamente uma excelente experiência em 3D. Coraline, a personagem que dá nome ao filme, é uma jovem rapariga que descobre na sua casa nova uma porta secreta, dando-lhe assim uma outra versão da sua vida. No início, apesar desta parecer muito parecida com a sua vida real, acaba por parecer muito melhor do que era realmente na realidade. Mas entretanto ela começa a enfrentar alguns perigos e tenta regressar à sua vida normal.

Coraline estreia em Portugal já na próxima quinta-feira. O filme tem as vozes de Dakota Fanning, Teri Hatcher, Jennifer Saunders e Dawn French.




WATCHMEN

Sem dúvida alguma o filme mais esperado do ano. Watchmen, realizado por Zack Snyder, o visionário realizador de 300, é esperado com grande ansiedade principalmente pelos fãs da banda desenhada. Se para muitos os trailers apresentados até agora já chegam para comprovar a enorme qualidade que o filme apresenta, onde o destaque vai para o ambiente extremamente bem elaborado e semelhante à bd, falta agora aguardar menos de um mês para a tão esperada estreia nos cinemas.

Watchmen, nome da graphic novel criada por Alan Moore e Dave Gibbons, é considerada uma das melhores de sempre. Como referiu a revista Empire na sua edição de Setembro de 2008, poderá estar aqui o "Citizen Kane dos filmes de Super Heróis". Até que ponto isto poderá ser correcto dizer não sabemos. O que sabemos, e bem, é que 5 de Março nunca esteve tão longe. Se The Dark Knight foi o ultra sucesso da temporada de 2008, estará aqui outro êxito para a Warner Brothers? A extensa campanha de promoção da sua estreia, desde que se resolveu o processo judicial sobre os direitos de distribuição do filme, surgiu em meados de Janeiro e tem feito aumentar ainda mais as expectativas.

Com Carla Gugino, Jeffrey Dean Morgan, Malin Akerman, Billy Crudup, Patrick Wilson, Jackie Earle Haley, Matthew Goode, Stephen McHattie e Matt Frewer, o filme chega até nós em estreia mundial a 5 de Março pela Zon Lusomundo. Por agora, deliciemo-nos com diálogos como este: "The world will look up and shout "Save us!"... And I'll whisper "No.""




GRAN TORINO

Clint Eastwood não para. E quem agradece somos nós, público sedento por consumir os seus filmes. E se os últimos anos têm sorrido ao realizador/actor de 78 anos, este corrente ano parece já ter deixado uma marca de tristeza. A razão é mais do que óbvia: com duas produções num ano, Eastwood foi renegado pela Academia. E se Changeling marcou um grande regresso de Eastwood atrás das câmeras, Gran Torino será, infelizmente, a sua última aparição como actor. E que saudades vamos nós ter daquela voz grave e rouca que nos cola logo ao ecrã.

Tristezas à parte, Gran Torino chega até nós no dia 12 de Março. Só isso é motivo que chegue para ficarmos logo com um largo sorriso na cara. A história centra-se em Walt Kowalski, interpretado por Clint Eastwood, onde este é um veterano da Guerra da Coreia e a sua única felicidade na vida é o seu Gran Torino 1972. Sendo uma pessoa algo preconceituosa e de poucos amigos, Kowalski acaba por se envolver com alguma da sua vizinhança que detestava, protegendo-os depois dos gangs que se vêm metendo com eles.

Os direitos de Gran Torino foram adquiridos por Clint Eastwood na altura da apresentação de Changeling no Festival de Cannes, tendo começado depois, desde logo, a trabalhar neste filme. Assina uma vez mais a banda sonora, sendo possível desta vez ouvi-lo a cantar. Cerca de um mês é o que vamos ter de esperar para a sua estreia em Portugal.



Ante-Cinema#

sábado, 14 de fevereiro de 2009

E as expectativas aumentam...

Divulgada nova imagem de Up, mais um grande sucesso para a Pixar?


Ante-Cinema#

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Especial The Wrestler: Entrevistas - Parte I

Evan Rachel Wood

O Ante-Cinema inicia hoje um conjunto de especiais sobre The Wrestler. E, tendo em conta que já vimos o filme na passada quarta-feira conforme informamos aqui, se uma das surpresas residiu no facto de o filme não viver apenas de Mickey Rourke, outra das surpresas recaiu numa actriz em clara ascensão por ter feito uma excelente interpretação neste The Wrestler. Falamos claro de Evan Rachel Wood. Assim sendo, e enquanto a crítica do Ante-Cinema não chega, deixamos por agora a entrevista realizada à actriz sobre o seu papel neste filme de Darren Aronofsky, bem como a dica para ficarem atentos à sua interpretação. Dizendo mais, não ficava nada mal se esta tivesse sido nomeada para o Oscar de Melhor Actriz Secundária. Percebem porquê quando a crítica completa surgir por aqui.



Ante-Cinema#

Um primeiro olhar sobre Inglourious Basterds

Aproveitando o burburinho que se tem criado à volta do primeiro trailer de Inglourious Basterds, o novo filme de Quentin Tarantino, o Ante-Cinema apresenta agora um primeiro olhar sobre as personagens e os actores que o envolvem.

Enquanto folheava a edição deste mês da revista Empire, deparei-me com um artigo muito interessante sobre um dos filmes que tem vindo a causar uma grande ansiedade para este novo ano cinematográfico, mas, principalmente, aos fãs de Tarantino. O realizador explicou à revista quais são os actores implícitos na obra e quais os seus papéis na trama. Só para abrir ainda mais o apetite:


• COLONEL HANS LANDA OF THE SS, AKA THE JEW HUNTER (Christoph Waltz):

Landa é um génio do SS e um célebre Nazi. "Se não tivesse encontrado um Landa perfeito, teria desistido de todo o projecto", disse Tarantino. "Landa é um génio a nível da linguística, então tinha que encontrar que também o fosse, pois metade das suas cenas são em alemão e a outra metade em francês. E também há uma cena enorme em inglês, então este terá de estar apto a falar tão bem inglês como alemão e francês.".

• LIEUTENANT ARCHIE HICOX (Michael Fassbender) e BRIDGET VON HAMMERSMARK (Diane Kruger):

Hicox é um cinéfilo mandado para trás das linhas inimigas com a Operação Kino em suas mãos. O seu contacto no terreno é Von Hammersmark, uma estrela de cinema alemã. "Gosto da ideia que é o poder do cinema a combater os Nazis (...) mas não como uma metáfora unicamente – literalmente como uma realidade".

• GENERAL ED FENECH (Mike Myers):

Fenech é o cérebro por detrás da Operação Kino, um plano com o intuito de sabotar a grande estreia de Goebbels. "O Mike deu-me a conhecer que admirava o meu trabalho", revelou Quentin Tarantino, "...mas é também um conhecedor da Segunda Guerra Mundial. E como é um actor terrífico, eu falei-lhe se queria ficar com o papel do velho general britânico, modelado depois do velho George Sanders".

• FREDERICK ZOLLER (Daniel Brühl):

Zoller é um sniper alemão que ficou célebre na última produção de propaganda de Josef Goebbels, "Nation’s Pride". Este apaixona-se por Shosanna e tenta persuadir Goebbels a fazer a sua estreia no cinema desta. "Eles fazem uma referência ao Zoller ser o Sargento York alemão", disse Tarantino, "...mas é também um pouco baseado em Audie Murphy (o soldado que se tornou em estrela de westerns). Ele está prestes a tornar-se numa estrela de cinema".

• SHOSANNA DREYFUS (Mélanie Laurent):

Shosanna é uma rapariga judia que escapa ao SS e move-se para Paris, onde assume uma nova identidade francesa e onde se torna gerente de um pequeno cinema. "Mélanie apenas entrou e fez a audição (...) E eu só pensei que ela era incrível. É uma actriz magnífica. Tem uma qualidade fantástica de preparar emoções. Ela compreendeu completamente Shosanna na sua alma".

• ALDO ‘THE APACHE’ RAINE (Brad Pitt):

Aldo Raine é um americano que recrutou uma equipa ‘maluca’ de assassinos de Nazis chamada The Basterds, e que une forças com os britânicos para levar em frente a Operação Kino. "O Brad é magnífico", revelou Tarantino, "...Nós já queríamos trabalhar juntos há bastante tempo e este era o projecto certo. Depois de finalizar o argumento, dois dias depois enviei-lhe uma cópia. Ele adora tanto Aldo que está praticamente dentro da sua personagem quase todo o dia. Quando está no set é o Aldo. Ele não quebra a sua personagem.".

• THE BASTERDS:

o PFC. UTIVICH (B.J. Novak)
o SGT. DONOWITZ (Eli Roth)
o PFC. ULMER (Omar Doom)
o PFC. HIRSCHBERG (Samm Levine)
o PFC. ZIMMERMAN (Michael Bacall)
o SGT. STIGLITZ (Til Schweiger)
o SGT. WICKI (Gedeon Burkhard)

Os Basterds são um grupo de homens fortes escolhidos a dedo que caçam Nazis e os escalpam, uma prática que deu ao seu líder, Raine, a sua alcunha. "A ideia era a de que estavam a fazer uma resistência Apache contra os Nazis (...) segue a ideia de que os Judeus actuam como os Apaches numa situação perdedora. A ideia é aterrorizar os Nazis, entrar dentro das suas mentes".


Mário Macedo
Ante-Cinema#

Estreias da Semana (12 a 18 de Fevereiro)

O LEITOR

Realização: Stephen Daldry
Com: Kate Winslet, Ralph Fiennes, David Kross, Bruno Ganz e Lena Olin
Género: Drama
Duração: 125 minutos
Classificação: M/16
País: EUA/Alemanha

Nota Ante-Cinema: 7/10

Alemanha, após a Segunda Grande Guerra Mundial. O adolescente Michael Berg fica doente e é ajudado por Hanna, uma estranha com o dobro da sua idade. Michael recupera entretanto da escarlatina e vai à procura de Hanna para agradecer. Ambos são rapidamente arrastados para um apaixonado mas secreto caso amoroso. Michael descobre que Hanna adora que leiam para ela e a relação física entre eles intensifica-se. Hanna deixa-se cativar, à medida que Michael lê para ela “A Odisseia,” “Huck Finn,” e “A Dama do Cachorrinho”. Apesar da intensa relação entre eles, um dia Hanna desaparece misteriosamente e Michael fica confuso e de coração partido. Oito anos depois, Michael fica estupefacto ao ver Hanna novamente na sua vida... (Sinopse: Cinema2000)

Em exibição nos seguintes cinemas: VER AQUI


O CASAMENTO DE RACHEL

Realização: Jonathan Demme
Com: Anne Hathaway, Rosemarie DeWitt, Debra Winger e Mather Zickel
Género: Drama
Duração: 114 minutos
Classificação: M/12
País: EUA

Quando Kym volta a casa para o casamento da sua irmã Rachel, ela traz consigo uma longa história de crise pessoal, conflitos familiares e tragédia. O casamento do casal, repleto de amigos e familiares, tinha tudo para ser um alegre fim-de-semana de festa, música e amor, mas Kym torna o ambiente muito pesado e tenso. (Sinopse: Cinema2000)

Em exibição nos seguintes cinemas: VER AQUI


UM DIA DE CADA VEZ

Realização: Mike Leigh
Com: Sally Hawkins, Eddie Marsan, Alexis Zegerman e Samuel Roukin
Género: Comédia
Duração: 119 minutos
Classificação: M/12
País: Grã Bretanha

Poppy é uma jovem professora primária. Com um espírito livre, é sincera e generosa – tão divertida e anárquica como concentrada e responsável. Ela tem tempo para toda a gente, e quem a conhece apaixona-se por ela. Poppy adora os seus alunos e trabalha bastante. Ela partilha um apartamento com uma amiga, desfruta a sua vida social, é carinhosa com as suas irmãs mais novas, e frequenta aulas de flamenco e trampolim. Quando começa as aulas de condução, a sua maturidade e o seu sentido de humor ajudam-na a lidar com um instrutor maníaco. Confortável com o facto de ser solteira, Poppy conhece um sujeito com quem realmente se identifica. (Sinopse: Cinema2000)

Em exibição nos seguintes cinemas: VER AQUI


SÓ UM BEIJO, POR FAVOR

Realização: Emmanuel Mouret
Com: Emmanuel Mouret, Virginie Ledoyen, Michaël Cohen e Julie Gayet
Género: Drama
Duração: 102 minutos
Classificação: M/12
País: França

Numa deslocação de uma noite a Nantes, Émilie conhece Gabriel. Seduzidos um pelo outro, mas tendo cada um a sua vida, eles sabem que nunca mais se irão encontrar. Ele gostaria de a beijar. Ela também. Mas uma história impede-os: a de uma mulher casada e do seu melhor amigo, surpreendidos pelos efeitos de um beijo. Um beijo que não deveria ter tido consequências… (Sinopse: Cinema2000)

Em exibição nos seguintes cinemas: VER AQUI


SEXTA-FEIRA 13

Realização: Marcus Nispel
Com: Jared Padalecki, Derek Mears, Amanda Righetti e Julianna Guill
Género: Terror
Duração: 98 minutos
Classificação: M/16
País: EUA

Nota Ante-Cinema: 3/10

Procurando a sua irmã desaparecida, Clay chega aos fantasmagóricos bosques do lendário Crystal Lake, onde tropeça nos restos de velhas cabanas apodrecidas que aguardam pacientemente escondidas nas árvores cobertas de musgo. E essa não é a única coisa que se esconde por trás da vegetação… Indo contra os avisos da polícia e da população local, Clay segue as poucas pistas que tem com a ajuda de uma jovem que conhece num grupo de jovens estudantes universitários à procura de um fim-de-semana recheado de emoções. (Sinopse: Cinema2000)

Em exibição nos seguintes cinemas: VER AQUI

Ante-Cinema#